Curiosidades sobre o Teto Verde

Com características históricas marcantes, os telhados verdes remetem aos conceitos que formalizaram os anos 20 na arquitetura moderna, conferindo elegância e comunhão com a natureza ao aproveitar os ciclos de sol e chuva. Um exemplo bem conhecido em nosso país, o Palácio Gustavo Capanema (RJ) é considerado um marco na Arquitetura Moderna Brasileira.

Iremos apresentar algumas características que tornam os ecotelhados opções tão encantadoras. Descubra suas vantagens e desvantagens para compreender melhor porque tanta gente está fascinada com essa opção.

Origem: Indícios apontam a utilização como artifício em construções do Egito, Mesopotâmia e Pérsia. Para camuflar residências ou amenizar temperaturas, o telhado verde acompanha a civilização e urbanização há bastante tempo. Após a já citada década de 20, os anos 70 e 80 foram responsáveis pelo start na redefinição e aprimoramento dos processos tecnológicos discutidos atualmente.

Camadas: Sete camadas devem ser projetadas para o bom funcionamento da sua proposta: Vegetação, terra, tecido permeável, sistema de drenagem, barreira contra raízes, membrana à prova d’água e, por fim, o telhado. Cada parte possui uma função bem específica. Estruturas mais novas podem conter sistema de armazenamento e reutilização da água da chuva.

Vantagens: Com caráter sustentável, visualize a cobertura vegetal como um investimento na absorção da água da chuva e no isolamento térmico. Com os materiais certos, é possível obter isolamento acústico e redução no consumo de energia.

Manutenção: É necessário realizar manutenções regulares para o melhor aproveitamento da proposta. Para que a estrutura permaneça saudável, a posição do sol deve ser estudada junto com correntes de vento e períodos com maiores chuvas.

Desvantagens: O projeto inicial pode ter um custo elevado e necessitar de mão de obra altamente especializada. Além disso, a manutenção é um fator que não pode ser ignorado para garantir os aspectos técnicos e estéticos do local.

Outra dica importante é referente aos dois tipos de coberturas comumente apresentadas: extensiva e intensiva. Coberturas extensivas são aquelas com vegetações rasteiras. Os modelos extensivos são mais simples e mais resistentes, possuindo verdadeiros jardins suspensos.

Gostou? Nós adoramos o aspecto natural e moderno que o teto verde transmite nas construções e lares. É incrível como a técnica combina até mesmo com projetos mais rústicos, não é mesmo? Aceitamos suas dúvidas e sugestões para os próximos temas. Escreva para o nosso blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *